• molafurg

O Caminho> Luna Maksude




Luna Aurora Antunes Maksude


Eu caminho por uma estrada, de terra firme e mato denso até onde a vista não da mais, com os pés nus e o coração lento me encarrego de levar, em uma mão um espelho e na outra um lenço e oque mais encontrar

Mas sem medo de desapegar


Guardando em meu peito uma pequena sodalita


Não foi facil restaurar;

a joia rara que permanece a brilhar

Esculpida com tanto cuidado , não venha a me desdenhar, eu posso te mudar


Elevar o teu mundo e depois desabar

Eu posso te levar do céu ao chão

Num único estalar

Teus dedos na minha mão em nosso caminhar

Talvez eu me afogue até aprender a nadar,

Talvez eu cale só pra te avisar

talvez nenhuma palavra de nada servirá


Até o ultimo dos aconchegos,eu me envolto em teus beijos mas hoje não falo de você, meu

desejo, meu carinho

A essa poesia declaro somente a mim pois sei que vou seguir sozinha boa parte do caminho


De tantas declarações de amor hoje vou me priorizar

Eu tenho tanto amor para dar, a sua espera

É só você vir buscar, derramei lagrimas ao me olhar

O olhar do espelho me acompanha

Sacrificando, em seu ténue sacrilégio e encanto

Me encantando do mais mórbido empenho de não me amar

Do espelho vinham palavras de ódio que hoje finjo calar

Me consumia tanto que eu me via estar, envolta nos meus medos e não em meu lar

Corri para casa até procurar

Virei, dei meia volta sem nada encontrar

Até que essa pequena sodalita começou a brilhar

O lenço antes para guardar pôs-se a me enfeitar

O espelho antes a me atacar pôs-se a me mostrar

Que meus defeitos são pra me ensinar

Que carrego a beleza em meu olhar

E que do caminho que trilho eu faça meu lar.

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo